quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Décimo encontro do GESTAR II- Língua Portuguesa

10-10-2009 TP 1
Unidade 01 Variantes - lingüísticas:dialetos e registros.
Unidade 02 Variantes - lingüísticas:desfazendo equívocos.

Oficina o1

Começamos a oficina lendo o texto “O abismo do padrão” , da revista “Língua Portuguesa.”
O texto faz um relato do surgimento da norma padrão no Brasil, século XIX.
(“...com intuito de , na definição de Faraco , “neutralizar a variação e controlar a mudança,” numa tentativa de unificar a língua e torná-la unitária e homogênea.”)
(Revista Língua Portuguesa – Edição 19)

Sabemos que nosso alunos pertencem a várias classes sociais e assim cada um traz para a escola sua cultura, seu modo de falar, cabe a escola incentivá-lo a uma boa leitura, não deixando de valorizar o conhecimento que possui.

Como variação lingüística é um assunto agradável de se discutir, ainda mais por ser o Brasil um país muito miscigenado, possuímos vastas variações lingüísticas. Lemos alguns textos e frases que trazem variações lingüísticas de diferentes regiões do Brasil.

Os cursistas comentaram os avançando na prática aplicados, trocando muitas experiências, oportunizando as práticas vivenciadas dos colegas para aplicarem nas suas escolas, não esquecendo de abortar situações negativas.

Passamos para a oficina 1 da unidade 2,depois de lerem o texto, os cursistas comentaram as falhas que são comuns em textos produzidos por alunos na série sugerida, como: pontuação, vírgula, coesão e o vocabulário que não é típico de criança nesta série como o nome dos eletrodomésticos e suas utilidades detalhadas.

Frases de variações lingísticas estudadas na oficina:

- Mas, bah, de onde tu és tchê?
- Tirisdaí minino! Tá travacando o caminho.
- Orra, meu! Num to ti inteiindeiindo.
- Oh, bichim, diabeisso? Sei não
IMPORTANTE
Projeto Atlas Linguísticos do Brasil (Projeto ALIB)
Vale a pena conhecer, acesse:
www.alib.ufba.br


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

NONO ENCONTRO DO GESTAR II- LINGUA PORTUGUESA

26-09-2009 TP 6
Unidades 23-24
Unidade 23 – O processo de produção textual: revisão e edição
Unidade 24 – Literatura para adolescentes
Oficina 12

Demos início com as boas vindas aos cursistas. Fizemos um comentário das unidades 23 e 24. Os cursistas comentaram os “avançando na prática” aplicados em sala com seus alunos. Muitos professores optaram pelas atividades do avançando referente as gírias, por ser um assunto que o adolescente tem mais afinidade.

Tanto os professores como os alunos puderam conhecer gírias que desconheciam. Uma coisa que os alunos deixaram claro que usam a gíria quando estão com amigos, já em casa, com o pai e a mãe procuram usar outro vocabulário. A criatividade deles é surpreendente. Foi um assunto muito legal de comentar devido ao grande número de gírias que o jovem conhece. Na parte final da oficina muitos livros foram trazidos para a sala, assim os professores elaboraram as atividades sugeridas na oficina de uma forma bem interessante. Houve algumas sugestões dos cursistas, entre elas destacamos uma : O aluno ao pegar o livro de literatura que melhor lhe agradar escreverá uma síntese da história apenas observando a capa, o título e o autor , entregará à professora.

Quando o aluno terminar a leitura da obra a professora devolverá a síntese, com isso ele irá comparar o diagnóstico que fez no início com que realmente a história traduz .




quinta-feira, 8 de outubro de 2009

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO PARTICIPA DO GESTAR II - SORRISO - MT

Os alunos de Atendimento Educacional Especializado também participam do GESTAR II. A professora de português, claudeci juntamente com sua instrutora em libras Sirlene(que é uma pessoa surda) desenvolvem as atividades do curso com os alunos que estão inclusos nas salas regulares.
Sirlene é graduanda em Pedagogia e sua atuação no AEE é ensinar a LIBRAS aos alunos surdos como língua materna. A professora de português Claudeci ensina o português como segunda lingua para o surdo. Aplicando práticas pedagógicas para facilitar a vida dessas crianças e assim melhorar o relacionamento das pessoas com surdez tanto na família como na sociedade.Os alunos do Atendimento Educacional especializado também participam do GESTAR II.



video

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

OITAVO ENCONTRO – TP 6 - PRODUÇÃO TEXTUAl: Planejamento e escrita

O encontro foi realizado em 12-09-2009. De início os professores escreveram um texto argumentativo, pois era o assunto sugerido na unidade 21. A argumentação poderia ser escrita sobre: ecologia, educação, Política ou trânsito. Ao término da atividade assistimos o filme. Língua-vidas em Português. Assim os cursistas puderam perceber como a língua portuguesa está evoluindo nesse mundo globalizados onde vivemos. No filme alguns escritores dão depoimentos a respeito da língua portuguesa, esse meio de comunicação, que faz com que as pessoas de países distantes usem o mesmo idioma para facilitar a comunicação seja através da fala, música, filme, documentário, escrita, etc. Após o filme os cursistas apresentaram os “avançando na prática”. Aplicados em sala. Por último fizemos a oficina 11 unidade 22. Espírito carvavalesco. (Moacyar Scliar) - Quero que você vá lá e mande eles pararem com esse barulho.

Continuação .............................(agora com os cursistas)

- É melhor esperar mais um pouco. Acho que já estão para acabar com o ensaio. Não precisamos criar confusão. Permaneceram na cama e aproveitaram para conversar um pouco sobre a época festiva. Passaram-se alguns minutos e o barulho persista. Levantaram da cama tomaram um café e ligaram o aparelho de TV. Para surpresa do casal a propaganda era sobre carnaval. Ela olhou para o marido e ele sugeriu o seguinte: - Que tal ligarmos para o Roberto e a Lígia e jogarmos uma canastra. - Ah! Fazer o quê. Já que não há outra saída e tenho um marido que não se presta a ir lá e resolver o problema?! Fizeram a ligação e o Roberto atendeu. Pouco se entendia o que ele falava, pois estava em uma festa. A única coisa que ele ouviu foi o convite para que o casal fosse até o local se divertir. Naquela altura do campeonato, aceitou o convite e comunicou à esposa que esbravejou: - Era o que me falatava! E nem tive como recusaar. - Pegou o endereço pelo menos? O esposo deu uma olhadinha sem graça e disse que fariam isso no caminho. E lá foram os dois depois de um banho gelado para despertar. No caminho, ligaram, para o Roberto novamente que atendeu todo contente. O som parecia mais alto ainda e dava para perceber que era um ritmo carnavalesco. Quando o amigo lhe explicou o endereço da festa, a esposa notou uma certa palidez na expressão do marido. - Diga logo o que aconteceu? - Você não vai acreditar, ele fez um suspense. Podemos retornar e deixar o carro em casa. - Por quê? Eles irão nos buscar? - Não... A festa é exatamente onde tudo começou. E, foram ao ensaio da escola de samba relembrar o tempo da mocidade. Texto produzido pelos professores cursistas: